Semana passada, estive no Congresso Mega Brasil de Comunicação Corporativa, o mais importante e abrangente evento independente do setor de todo o País. A programação envolvia palestras, mesas redondas e conferências, reunindo profissionais nacionais e internacionais em torno de temas de vanguarda, novos conceitos, novas práticas e cases de sucesso.

Sempre digo pro time da In Press Oficina que é bom parar um pouco de vez em quando e ir “respirar o mercado”. A rotina da agência, as entregas diárias, cobranças por resultado podem te tirar do rumo que o mercado está tomando ou te deixar rapidamente desatualizado.

E como foi bom ver que estamos no caminho certo. Não tinha forma melhor de ‘respirar o mercado’, como disse anteriormente, do que ouvir profissionais que trabalham em grandes marcas como McDonalds, IBM, Google, entre outras que passaram pelo palco do evento. Afinal, eles enfrentam o mesmo desafio diário da nossa equipe de construir, manter e proteger o ativo mais sagrado de todas as empresas, entidades ou órgãos do setor público: a reputação. Sem ela, nada funciona, não existe comunicação e muito menos qualquer chance de empatia da sociedade.

Me propus, então, um desafio. Resumir tudo que vi durante todas as palestras e mesas de debate em 05 grandes lições. Vamos a elas:

  • Defina um propósito verdadeiro: propósito já é palavra-chave da In Press Oficina há muito tempo. E a cada evento, essa palavrinha mágica ganha cada vez mais força. Mas não basta definir qualquer propósito porque ‘está na moda’. Ele precisa ser verdadeiro e ter uma conexão profunda com as pessoas que trabalham na sua empresa, entidade ou órgão do setor público. Quanto mais verdadeiro, mais forte será o engajamento interno e melhor será a sua reputação.
  • Seja coerente e consistente: se foi definido um propósito e ele tem relação direta com o propósito das pessoas que trabalham na sua empresa, você vai precisar ser consistente. Empresa não muda de propósito todo dia, todo mês e nem todo ano. A consistência vai trazer no médio/longo prazo o resultado esperado.
  • Não tenha medo de ousar: já se foi o tempo que ‘jogar na retranca’, como diz o jargão futebolístico, dava certo. Ficar só se defendendo dos ataques sem ter uma estratégia pró-ativa é o caminho mais rápido para sua reputação ruir. Ou tomar uma bola nas costas pra manter a referência no futebol. É fato que temas sensíveis, críticas ou até fake news vão aparecer a qualquer momento quando se fala de grandes empresas ou órgãos do setor público. E ficar esperando elas acontecerem não vai ajudar em nada. Enfrente as crises de frente, seja transparente, saiba rir de si mesmo e ‘surfe’ a internet. Todos os dias as oportunidades surgem, basta saber aproveitar.
  • Microinfluenciadores e nano-influenciadores vieram pra ficar: o tempo das mega-celebridades e dos ´’digital influencers’ pode estar chegando ao fim. A credibilidade dessas pessoas está em cheque uma vez que passou a ser comum fazer ações patrocinadas ou até participar de propagandas tradicionais. Os holofotes agora se voltaram para esses microinfluenciadores que, se bem utilizados, podem contribuir e muito para a reputação da sua empresa ou entidade. Mas nada de fazer uma ação patrocinada sem que isso fique claro. É uma tremenda canelada que não será perdoada no ambiente digital.
  • Diversidade, diversidade e mais diversidade: o mundo mudou, a sociedade brasileira mudou, os millenials chegaram com tudo e quem ainda não acordou para a necessidade de abraçar a diversidade pode ser dar muito mal num futuro muito próximo. As tribos, os clãs, os ou chamados ‘nichos’ estão cada vez mais hipersegmentados e é preciso definir mensagens-chave para cada um deles para construir sua reputação. Ignorar também não é uma boa ideia. Você também será cobrado por isso.

Bônus: se você leu até aqui, vai aí uma lição bônus, que também foi discutida no evento e é pauta em toda reunião de planejamento na agência. Não tenha medo de errar! O mundo digital te permite experimentar, testar hipóteses e avaliar rapidamente repercussão. Mas erre pequeno e erre rápido. Insistir (e investir) muito tempo em uma ideia sem saber se ela vai dar certo não é o melhor caminho. Faça um grupo controle, avalie o que deu errado e faça ajustes na estratégia. Acertou? Como eu sempre digo pro time, ‘Boa!’. E aí é mais fácil ainda, basta pensar em como escalar e levar aquela mensagem para a maior quantidade de pessoas possível.

E que tal co-criar um pouco? Deixe nos comentários os seus desafios na hora de construir a reputação da sua empresa, entidade ou órgão do setor público e vamos criar juntos novas lições para o próximo texto.

 

Felipe Zulato, Gerente de Comunicação Digital.

Pin It on Pinterest

Share This